Jurado pelo câncer, Zé Alencar morreu cheio de vida

O coração do ex-vice-presidente José Alencar parou de bater. Deu-se às 14h41 desta terça (29).

Fala-se muito em morte prematura. A de Alencar foi procrastinada. Noutros tempos, ocultava-se o câncer. O de Alencar foi à praça.

Quinze anos de convívio, 17 cirurgias, incontáveis internações. Alencar viveu a morte intensamente, adiando-a.

Tinha onde cair morto. Sabia que, mais dia menos dia, acabaria o seu dia-a-dia. Mas divertia-se dando rasteiras no inevitável.

Jurado de morte pelo câncer, Alencar morreu cheio de vida. A essa altura, deve estar inquirindo o comitê de recepção:

“Mas já? Por que tão cedo? Por que pra sempre?”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: