Marta critica Dilma e afirma: “Ou o PT muda, ou acaba”

noticias_do_ poder_e_da_politica

marta suplicySenadora chamou Aloizio Mercadante de arrogante e Rui Falcão de traidor, além de revelar que Lula queria ser candidato em 2014

A senadora petista Marta Suplicy (SP) criticou o governo Dilma, se disse impossibilitada pelo PT de disputar e exercer cargos para os quais está habilitada e contou que Lula não apenas fez críticas a presidente, como também queria ser candidato na eleição de 2014. As revelações foram durante entrevista ao jornal Estado de S. Paulo.

Marta, que já foi deputada, prefeita e duas vezes ministra pelo PT, contou ao periódico que Lula criticou Dilma em um jantar organizado por ela com os 30 PIBs (jargão para se referir aos empresários mais ricos) paulistas para discutir a ineficiente política econômica da presidente. “Eles fizeram muitas críticas à política econômica e ao jeito da presidente. E ele [Lula] não se fez de rogado, entrou nas críticas, disse que era isso mesmo. Naquele jeito do Lula, né? Quando o jantar acabou, todos estavam satisfeitíssimos com ele.”

Segundo a petista, o ex-presidente estava incomodado com Dilma e queria ser candidato em 2014. Para impulsionar o o movimento “Volta, Lula”, Marta contou que organizou um encontro com políticos e artistas para que ele pudesse discutir uma possivel candidatura. De acordo com Marta, todos cancelaram a preença no evento, incluindo a presidente Dilma e Aloizio Mercadante. “Nessa época, ainda estava confuso quem seria o candidato. Tinha uma disputa. E, depois, quando ela virou candidatésima, ele não falava mais com ela (…) Ele é um grande estadista, mas não quis enfrentar a Dilma. Pode ser da personalidade dele não ir para um enfrentamento direto, ou porque achou que geraria uma tal disputa em que os dois iriam perder.”

Marta para presidente e o fracasso da política econômica
A senadora revelou que pensou sim em ser candidata à Presidência e relembrou uma conversa que teve com Lula quando ele ocupava o mais alto cargo do Executivo. Na ocasião, o petista disse que sua sucessora seria uma mulher. “Pensei que ou seria eu ou Marina (Silva) ou Dilma. Logo vi aquela história de ‘mãe do PAC’ e que era a Dilma. Pensei: ‘O que faço?’ Bom, ou ficava contra e não fazia coisa nenhuma, ou ajudava. Mais uma vez, decidi ajudar. Sempre achei que ia acabar ficando meio de fora das coisas, talvez pela origem, talvez por ser loura de olho azul, não sei.”

Marta disse ao Estado que não foram “engendradas” as ações necessárias quando se percebeu o fracasso da política economica liderada por Dilma e que era preciso uma mudança na equipe econômica para que houvesse uma melhora no setor. Mas, segundo ela, a modificação não se concretizou porque ela  “fortaleceria a candidatura do Lula”.

Quando perguntada se os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, poderiam pedir apoio do ex-presidente diante de dificuldades, ela respondeu: “O Lula está fora, totalmente de fora”.

Mercadante arrogante e Rui Falcão traidor
De acordo com a senadora, Rui Falcão e Mercadante criaram um complô para que Lula não fosse escolhido o candidato para as eleições presidenciais de 2014. “O Rui traiu o partido e o projeto do PT, e o partido se acovardou ao recusar um debate sobre quem era melhor para o País, mesmo sabendo as limitações da Dilma. Já no primeiro dia, vimos um ministério cujo critério foi a exclusão de todos que eram próximos do Lula (…) Mercadante mente quando diz que Lula será o candidato [em 2018]. Ele é candidatíssimo e está operando nessa direção desde a campanha, quando houve um complô dele com Rui e João Santana (marqueteiro de Dilma) para barrar Lula.

Petrobras e mudança de partido
Sobre as irregularidades envolvendo a Petrobras, Marta defende que todo o conselho e a diretoria da estatal sejam trocados para que a empresa seja salva, e se diz estarrecida cada vez que lê o jornal e se depara com novas denúncias. “É esse o partido que ajudei a criar e fundar? Hoje, é um partido que sinto que não tenho mais nada a ver com suas estruturas. É um partido cada vez mais isolado, que luta pela manutenção no poder. E, se for analisar friamente, é um partido no qual estou há muito tempo alijada e cerceada, impossibilitada de disputar e exercer cargos para os quais estou habilitada.”

Marta não confirmou se deixará o PT, mas revelou que foi convidada a integrar vários partidos, exceto o PSDB e o DEM.

Fonte.: Portal Terra

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s